Logo

Fatores de Risco para o AVC

Home » Notícias » Fatores de Risco para o AVC


Tags: AVC, derrame, isquemia cerebral, acidente vascular cerebral, avc isquêmico, avc hemorrágico, AVCI, AVCH, hemorragia cerebral, fatores de risco, colesterol, doença cardíaca, tabagismo.


FATORES DE RISCO PARA O AVC

Fator de risco é aquela característica da pessoa, um hábito ou aquela doença que pode facilitar ou predispor a ocorrência de um AVC (derrame).

O manejo adequado dos fatores de risco diminui a probabilidade de uma pessoa ter um AVC. Os principais fatores de risco para o AVC são:

IDADE E SEXO – Ainda que um AVC possa surgir em qualquer idade, inclusive entre crianças e recém-nascidos, a chance dele ocorrer cresce, à medida que avança a idade. Quanto mais velha uma pessoa, maior a chance de ela ter um AVC. Pessoas do sexo masculino e a raça negra exibem maior tendência ao desenvolvimento de AVC.

HISTÓRIA DE DOENÇA VASCULAR PRÉVIA – Quem já teve um AVC, ou uma “ameaça de AVC/derrame”, ou outra doença vascular como o infarto (no coração) e a doença vascular obstrutiva periférica (problemas de circulação nas pernas), tem uma maior probabilidade de ter um AVC.

DOENÇAS DO CORAÇÃO – As doenças do coração, especialmente as arritmias (batimentos cardíacos desregulados), aumentam o risco de AVC. A arritmia mais comum é a fibrilação atrial, que provoca batimentos irregulares no coração e facilita a formação de coágulos sanguíneos, que podem migrar para os vasos do cérebro, causando um AVC. Outros exemplos de doenças do coração que aumentam o risco de AVC: infarto com enfraquecimento do coração, doença nas válvulas e cardiopatia chagásica (por Doença de Chagas).

TABAGISMO – Já está comprovado que fumar é prejudicial à saúde de vários órgãos e fortemente relacionado com o risco aumentado para o AVC. As substâncias químicas presentes na fumaça do cigarro passam dos pulmões para a corrente sanguínea e circulam pelo corpo, afetando todas as células e provocando diversas alterações nas artérias e no sistema circulatório.

HIPERTENSÃO ARTERIAL – Conhecida como “pressão alta”, é um dos principais, senão o principal fator de risco facilmente modificável para se evitar o AVC. A pressão arterial média de uma pessoa saudável é de 120/80 mmHg (“12 por 8”). Níveis de pressão elevados acabam lesionando os vasos sanguíneos do cérebro, ocasionando o AVC. Mesmo que uma pessoa tenha uma pressão pouco elevada, com níveis como 13 ou 14 de máxima, é preciso logo consultar um médico, para começar o tratamento adequado. Abaixo, os níveis considerados normais, de pré-hipertensão e hipertensão em vários estágios.

DIABETES – O diabetes é causado pela deficiência do hormônio chamado insulina, ou por uma resistência a essa substância produzida pelo nosso organismo. Esse hormônio regula o metabolismo da glicose (açúcar) no corpo. O objetivo do tratamento do diabetes é manter o nível de glicose no sangue o mais próximo do normal. Um bom controle da diabetes, com dieta adequada, controle do peso, dos lípides e uso de medicamentos, torna os problemas circulatórios menos comuns.

SEDENTARISMO – A atividade física confere redução do risco de doença vascular. O sedentarismo leva ao aumento de peso, predispondo à hipertensão, diabetes, níveis inadequados de colesterol no sangue, todos conhecidos fatores de risco para o AVC, já comentados.

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES – O excesso de gordura no sangue (dislipidemias) leva à formação de placas nas paredes das artérias. Isto as torna mais estreitas e reduz o fluxo sanguíneo, aumentando a chance da pessoa ter um AVC. A obesidade deve ser controlada, principalmente por sua associação com a diabetes, obesidade abdominal e aumento de triglicérides e resistência à insulina.

ÁLCOOL E DROGAS – O consumo excessivo de bebidas alcoólicas associa-se a um aumento na incidência de AVC. O consumo rotineiro de álcool leva à hipertensão e níveis inadequados de colesterol no sangue – fatores de risco já citados e comentados acima. O uso de cocaína ou crack pode gerar lesão das artérias, picos hipertensivos, vasoconstricção ou ruptura dos vasos, com a ocorrência de AVC.

ANTICONCEPCIONAL – O uso de pílulas anticoncepcionais pode favorecer o surgimento de AVC, principalmente em mulheres fumantes, com hipertensão arterial ou alguma predisposição individual à formação de trombos.


PARA COMBATER E PREVENIR O AVC, A SBDCV TEM ALGUNS OBJETIVOS JUNTO À POPULAÇÃO, ESTIMULANDO AS PESSOAS:

  1. Que conheçam seus fatores de risco: hipertensão arterial, diabetes, colesterol alto ou fibrilação atrial
  2. Que sejam fisicamente ativas e exercitem-se regularmente.
  3. Que se evite o ganho de peso e a obesidade, mantendo uma dieta saudável.
  4. Que se limite o consumo de álcool.
  5. Que evitem o uso do cigarro.
  6. Que todos aprendam a reconhecer os sinais de alerta de um AVC.


PARA SABER MAIS…

O que é o Acidente Vascular Cerebral?

Encontre um profissional Neurologista especialista em AVC na sua cidade – AQUI